Barra horizontal

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Medo de viajar de avião - Medo de "voar"

Nesses últimos dias, eu tenho falado sobre algumas viagens que fiz e enquanto eu escrevia sobre elas, fiquei pensando nas tantas outras que eu ainda quero fazer ao longo da minha vida. 
No próximo domingo, dia 28, eu viajo novamente. E devo dizer que eu sempre fico um pouco apreensiva em relação à viagens de avião. 
Sim, eu sou Psicóloga e também tenho meus medos, como qualquer outra pessoa. E sentindo o coração bater mais forte com a proximidade da viagem, eu pensei em falar sobre isso, já que muitas outras pessoas também devem estar passando por isso nesse momento. Então vamos lá! 

MEDO: 

O medo é uma emoção que surge, basicamente, diante de uma avaliação negativa a respeito de algo ou de uma situação. Sempre que algo nos parece perigoso ou ameaçador, tendemos a sentir medo. Esse é um tipo de emoção fundamental para o ser humano, pois garante a nossa sobrevivência enquanto espécie. Sendo assim, olhar para uma casa em chamas, por exemplo, avaliar essa situação como negativa, sentir medo e se afastar dali, é um processo extremamente necessário no sentido de autopreservação.

Porém, apesar de essa ser uma emoção necessária, é interessante que a gente esteja atento às reações emocionais que o medo pode causar. Em algumas pessoas, por exemplo, o medo pode causar uma reação agradável de êxtase, como no caso daqueles que gostam de esportes radicais e de situações que gerem adrenalina. Já em outras, o medo pode causar reações desagradáveis e desconfortáveis, como a ansiedade, por exemplo.

ANSIEDADE: 

A ansiedade é uma reação emocional caracterizada por agitação e angústia, sendo acompanhada de sintomas físicos como taquicardia, tensão muscular, tremor e transpiração excessiva, entre outros. Essa reação surge a partir do medo e, consequentemente, da avaliação negativa que se faz de um evento real ou imaginário e que está acontecendo (no presente) ou está prestes a acontecer (no futuro). Nesse caso, uma pessoa pode estar ansiosa por estar dentro de um avião ou, simplesmente, por pensar em uma viagem de avião nas próximas férias.

FOBIA:

A fobia, por sua vez, é um medo irracional, considerado pelo próprio sujeito como uma reação desproporcional, exagerada, inevitável e incontrolável diante de um estímulo em particular. Sendo assim, a fobia se apresenta como uma psicopatologia e é definida como um transtorno de ansiedade. Diferentemente dos casos de medo, a fobia interfere notoriamente na rotina de vida da pessoa, fazendo com que ela evite o estímulo ou situação que lhe causa tanto temor. Nesse caso, uma pessoa com fobia de avião, por exemplo, não consegue fazer uma viagem de avião, por mais curta que seja. Caso não tenha opção, ela corre o risco de ter ataques de pânico durante o voo, sendo que todo esse mal-estar acaba contribuindo para que ela evite ainda mais viver essa experiência novamente.

Quando se fala que a fobia se caracteriza por um medo irracional, não significa que o medo não tenha fundamento, mas que esses fundamentos não deveriam ser impeditivos, já que a possibilidade de que algo dê errado é muito pequena. Vou explicar melhor: é claro, por exemplo, que um elevador pode despencar, mas qual é a chance de que isso aconteça? Uma aranha venenosa pode te picar e te deixar à beira da morte? Sim, isso é possível, mas qual é a chance de que isso aconteça de fato com você? Como as chances são muito pequenas, uma pessoa não deveria se privar de passear num parque só porque pode ser picada por uma aranha venenosa. Também não deveria evitar trabalhos e consultas em prédios ou visitas a amigos só porque eles moram no décimo andar e a pessoa tem medo de elevador. 

É por isso que a fobia é uma psicopatologia e deve ser tratada. Para que as pessoas não percam oportunidades de VIVER, de estar com pessoas, de conhecer coisas novas, de experimentar novos sentimentos e sensações.

ANALISANDO O MEDO DE VOAR:

Mas, além de tudo isso que foi dito, ainda tem algo que vai além dessas definições. Todo medo, ansiedade ou fobia tem suas representações na vida de cada um de nós e, como Psicóloga, eu não poderia deixar de falar sobre isso.

Vamos fazer um exercício? O que significa voar para você? Se faça essa pergunta e fique atento a todas as respostas que lhe vierem à cabeça. Voar: altura, sair do chão, saltar, se jogar... Voar pode ter uma representação diferente para cada pessoa, por isso eu escrevi voar entre aspas no título desse texto. Mas, de modo geral, eu acredito que diz respeito a tirar os pés do chão e se deixar levar.

A maioria das pessoas se perguntam: "E se alguma coisa acontecer com o avião, o que eu faço?" e a resposta é: "Nada". Quando você está voando, não há nada que você possa fazer caso algo dê errado e essa é uma certeza que aterroriza muitas pessoas por aí. A gente vive com uma falsa crença de que tem tudo sob controle e a sensação de se sentar, relaxar e se deixar ser levado, sem que nada possa ser feito, é algo que gera muita ansiedade em pessoas concretas e controladoras.  

Além disso, o próprio fato de "viajar" também tem suas representações. Viajar: deixar algo para trás e ir para longe, ir para novos lugares, ir rumo ao desconhecido... Não é à toa que quando uma pessoa está desatenta, dizem que ela está "viajando", ou seja, perdeu contato com a realidade externa e está em algum outro lugar. Mas e você, se permite viajar? Sair do plano material, deixar a realidade por alguns momentos e sonhar? Se permite se desligar do trabalho, deixar os filhos sob o cuidado de outras pessoas, ir até onde os olhos dos seus pais não alcançam, dizer tchau para os amigos e ir embora para um outro lugar? Pois, deveria! Pense nisso!

Essa não é uma análise absoluta e que deve aceita sem questionamentos, é apenas uma proposta de reflexão mais profunda sobre um medo que parece ser óbvio, mas pode ter raízes muito mais profundas e que digam respeito a como você é e como conduz sua vida. 

Se você se sente confortável com os seus medos, não há nada de errado com isso. Se você, no entanto, está procurando compreendê-los e superá-los, espero ter ajudado!

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário