Barra horizontal

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Como ir de carro de Paris até o Monte Saint-Michel

Eu já falei sobre o Monte Saint-Michel em um post anterior. Por lá, eu contei um pouco da história desse ponto turístico, que é o terceiro mais visitado da França, e falei sobre os valores de visitação, sobre o clima, sobre quanto tempo leva para fazer esse passeio e sobre as minhas impressões gerais sobre essa experiência. Se você quiser conferir essas informações e ver mais fotos sobre esse lugar incrível, é só clicar aqui >Bate-Volta no Monte Saint-Michel<. 

Agora, eu vou contar um pouco sobre como eu fui de Paris até o Monte Saint-Michel! 


Le Mont Saint-Michel


Como ir de Paris ao Monte Saint-Michel

Pelo que eu sei, existem 3 opções para se visitar o Monte Saint-Michel se você estiver em Paris: de ônibus (tipo uma excursão ou city tour), de trem ou de carro. Meu marido e eu não poderíamos passar a noite por lá e, além disso, queríamos nos aventurar um pouco pelas estradas francesas, então resolvemos alugar um carro. Essa não foi a opção mais barata, masss, valeu muito a pena por ter sido uma diversão à parte! 

Calendário de marés do Monte Saint-Michel

Em todos os sites e blogs que você acessar para saber mais informações sobre o Monte Saint-Michel, você verá a mesma orientação: consultar o calendário de marés. Isso porque, em algumas circunstâncias, a maré sobe e o trajeto até o Monte fica comprometido. Na época em que fui, como decidimos tudo de última hora, eu não cheguei a consultar esse calendário, então contamos com a sorte. Quando chegamos lá, no dia 09-10-14, tinham muitos cartazes avisando que naquele dia a maré iria subir no período da noite. Os cartazes diziam que, por segurança, até as 19 horas, os turistas deveriam estar devidamente instalados dentro do Monte ou já ter ido embora. Pelo que eu pesquisei, isso acontece sempre no período de lua cheia e lua nova e é o período mais bonito para quem quer passar a noite por lá.

Uma curiosidade: no dia 21/03/2015, aconteceu por lá a chamada "maré do século", que eleva as águas do Atlântico em 14,6 metros. Todos os sites noticiaram que, pela primeira vez no século 21, o Monte Saint-Michel ficaria completamente submerso, incluindo toda a rampa de acesso. Esse é um fenômeno que acontece a cada 18 anos e que não voltará a se repetir antes de 2033. Mesmo assim, é importante dar uma olhada no calendário de marés e, para isso, é só acessar o >Site Oficial do Monte Saint-Michel< e consultar a data da sua viagem clicando em Times of the Tides.

Alugando carro em Paris

Eu não me lembro o nome da empresa em que alugamos o carro, mas me lembro bem do preço: pagamos cerca de 190 euros pela diária. No site, haviam carros com aluguéis bem mais em conta, mas quando chegamos na locadora, nenhum deles estava disponível. Vale lembrar que nós decidimos ir até o Monte Saint-Michel no penúltimo dia de viagem, então não pudemos pesquisar muito e nem fazer cotação de preços. Acredito que poderíamos ter gasto bem menos se tivéssemos nos programado melhor. Para alugar o carro, não foi preciso ter nenhuma autorização especial para dirigir na Europa. Eles solicitaram apenas o passaporte e carteira de motorista do Brasil. Além disso, pediram vários outros dados, incluindo o endereço de onde estávamos hospedados. Esse processo todo levou cerca de 1 hora!

Como ir de carro de Paris até o Monte Saint-Michel 

O Monte Saint-Michel fica na Normandia, à 358 km de Paris. 


Paris ao Monte Saint Michel


Logo que pegamos o carro, que tinha GPS, digitamos o endereço e ele nos deu duas opções. A primeira opção era mais longa (cerca de 5 horas) e não tinha pedágios. A segunda, era mais curta (cerca de 3 horas e meia), mas tinha pedágios. Na ida, nós escolhemos a primeira opção, porque não estávamos com muita pressa e, além disso, precisávamos economizar o máximo possível. Como a ida foi muito cansativa e demorada, na volta, escolhemos o caminho com os pedágios.

Indo ao Monte Saint-Michel pela rota sem pedágios

Esse é o caminho mais bonito, sem dúvida! A gente passa por cidadezinhas lindas, medievais, com casas feitas de pedras, igrejas super antigas e etc... É lindo! Eu faria esse trajeto novamente com toda a certeza. Porém, eu devo alertar que é preciso ter muita paciência para seguir por essa rota. Tipo, muita paciência mesmo! Não existe uma estrada... Você vai passando de cidade em cidade e, cada vez que você entra em uma cidade, o limite de velocidade é de 40 à 50 km/h. E são muitas cidades! Todas pequenininhas e uma do lado da outra. Você entra numa cidade, anda à 40 km/h, sai da cidade, dá uma acelerada e, quando começa a se animar, chega em outra cidade e tem que diminuir a velocidade novamente. Esse ciclo se repete pelo caminho todo. Por umas 50 cidades... rs. Brincadeira, não foram tantas assim, mas parecia viu... 

Nós saímos de Paris às 9h e chegamos no Monte Saint-Michel às 14h. Abaixo, mostro algumas fotos do caminho e de cidades pelas quais passamos durante o trajeto.


Monte Saint-Michel

Monte Saint-Michel

Monte Saint-Michel

Monte Saint-Michel

Monte Saint-Michel

Ovelhas Monte Saint-Michel

Monte Saint Michel


Onde fica o Monte Saint-Michel

No meio do nada, gente! Sério! rs... Depois de passar por muitas cidades, sempre descendo, o caminho vai ficando mais deserto. A gente para de passar por cidades e começa a ver bastante mato. Nesse momento, se você olhar para a direita, começa a avistar o Monte, lá longe! Esse é um momento único! Parece uma miragem! Você acha que está vendo, mas não tem certeza... Até que ele vai ficando cada vez mais visível e lindo. Em um determinado ponto, eu não pude deixar de parar para tirar uma foto! Essa é a minha preferida...


Monte Saint Michel


Estacionamento do Monte Saint-Michel

Atualmente, o Monte Saint Michel tem um estacionamento que fica à uns 3 km de distância da entrada. Conforme você vai chegando, não tem como errar... O único caminho te leva direto para o estacionamento. Não sei se quem vai pela via expressa tem essa mesma facilidade, mas para nós, foi muito simples chegar até lá. Antigamente, os carros ficavam mais próximos da entrada, mas era uma correria para encontrar os donos dos carros nos horários em que a maré subia. Então, em 2012 eles inauguraram esse novo estacionamento que é totalmente seguro para os carros, mesmo nas épocas de maré alta.

É um estacionamento com bastante vagas e, de lá, eles te levam numa espécie de ônibus até a entrada do Monte Saint-Michel. Tem um ônibus atrás do outro, levando e trazendo os turistas o tempo todo. Eu me esforcei aqui para lembrar o valor do estacionamento, mas não consegui, me desculpem. Deve ter sido por volta de 15 euros. E o ticket do estacionamento deve ser pago bem no lugar onde o ônibus deixa os turistas. Ali tem uma central de informações, banheiros e também umas máquinas, tipo caixa eletrônico, onde você paga o estacionamento.


Estacionamento Le Mont Saint Michel


Voltando do Monte Saint-Michel pela rota com pedágios

Nós saímos do Monte Saint-Michel às 18 horas e queríamos estar em Paris às 22 para poder jantar uma última vez na cidade. Por conta disso, resolvemos voltar pela rota com pedágios. Por esse caminho, você só dirige por vias expressas e a velocidade permitida é de, pelo menos, 100 km/h. É tipo uma Rodovia Bandeirantes, com várias faixas e fluxo contínuo. Porém, se no caminho sem pedágios o problema é a velocidade, no caminho com pedágios o problema é o valor dos pedágios. Eu não contei, mas eu acho que foram uns 6 pedágios, sendo que cada um custava de 5 a 8 euros. Bem carinho, né?!

E por lá, você pode pagar o pedágio com cartão de crédito. Quando você estiver chegando no pedágio, repare nos desenhos que têm no topo das cabines. Isso porque existem cabines só para quem vai pagar com cartão e cabines para quem vai pagar com dinheiro, além das cabines para quem tem aquele aparelhinho tipo "Sem Parar". Para pagar com cartão, é muito simples, você só coloca ou passa o cartão e pronto. Não precisa digitar senha e nem nada!

Eu não tenho fotos do caminho de volta, porque estava escuro e não tinha nada de especial. Nem parecia que estávamos em outro país. Por isso eu gostei mais do caminho da ida.

Considerações finais...

Eu já disse no outro post que eu amei ter conhecido o Monte Saint-Michel, então tudo valeu a pena! Eu também adorei ver cada cidadezinha ao longo do caminho na ida e amei a agilidade do trajeto da volta! Achei que, sem querer querendo, fizemos as escolhas certas. Foi uma experiência inesquecível! =)

Boa viagem pessoal! 
Um beijo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário