Barra horizontal

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

12 horas de conexão em Nova York

No post anterior eu falei um pouco sobre as diferenças entre voos com escala, voos com conexão e voos diretos (se você ainda não viu, aqui está ;-). Agora, vou contar a minha experiência com uma conexão de 12 horas em Nova York.




A primeira coisa que você precisa pensar em relação às conexões é o seguinte: ao escolher a passagem, você vai ler lá: "Espera de 12 horas em Nova York" ou "Conexão de 12 horas em Nova York", porém você precisa estar ciente de que não serão 12 horas "livres". Até o avião chegar na portão de desembarque, os passageiros desembarcarem, passar pelo controle de imigração, pegar as malas e despachá-las novamente, já terão se passado duas horas, pelo menos. Os aeroportos costumam ficar distantes do centro da cidade, então, você perderá mais alguns minutos durante esse trajeto. Além disso, você terá que estar no aeroporto 3 horas antes do novo embarque. Sendo assim, das 12 horas de conexão, no meu caso, 3 horas foram gastas com a chegada e trajeto até o centro da cidade e mais 3 no processo de reembarque, sobrando 6 horas para conhecer a cidade de fato.

A minha conexão de 12 horas (das 6 às 18 horas) em Nova York foi na ida. Eu nunca tinha estado lá antes e eu acho que esse é um fator importante. Se você já conhece um pouco da cidade onde fará a conexão, com certeza irá aproveitar melhor o tempo que tiver. Se você não conhece, irá perder mais tempo com transporte e localização dos pontos de interesse. O ideal é pesquisar bastante sobre como ir do aeroporto para o centro da cidade e como ir de um ponto turístico ao outro. Isso não significa, no entanto, que será fácil. Eu, por exemplo, pesquisei muito e mesmo assim, tive problemas para me entender com os tickets do metrô e também para encontrar as estações que levavam para onde eu queria ir. Sendo assim, leve em consideração um tempo extra para eventuais imprevistos e dificuldades em se localizar.


O que dá tempo de fazer em uma conexão de 12 horas em Nova York?


Eu confesso que tinha muitos planos para essa "passadinha" em Nova York. Eu pretendia entrar em algumas lojas, comprar alguns produtos e almoçar em um lugar específico, mas tudo não passou de uma "doce ilusão"... rs. Digo isso, porque cheguei "acabada" em Nova York. Eu quase não consegui dormir no voo de 9 horas e quando foi chegando perto das 11 horas da manhã, eu já estava sem energia alguma. Dessa forma, não entrei em nenhuma loja, não comprei nada e nem almocei onde eu pretendia.

Ainda assim, eu acho que meu marido e eu conseguimos ver muitas coisas das 8h:30m (quando saímos do aeroporto) até às 12h:30m, que foi o máximo que aguentamos andar por lá. Sim, nós poderíamos aproveitar a cidade até as 14 horas, já que nosso próximo voo seria às 18 horas, mas não aguentamos. Por volta do meio dia e meio, voltamos para o aeroporto. Em quatro horas, no entanto, a gente passou pela Times Square, vimos o Empire State Building (por fora), conhecemos o Grand Central Terminal ou Grand Central Station, passamos pelo Charging Bull, pelo Memorial do 11 de Setembro e terminamos o nosso passeio observando a Estátua da Liberdade.


Times Square

Grand Central Terminal

Quando eu fiz minhas pesquisas, imaginei o seguinte roteiro: ir do aeroporto para a Times Square, passear por lá, almoçar e depois ir para um ponto onde eu pudesse ver a Estátua da Liberdade. Apesar das pequenas dificuldades, nós conseguimos fazer tudo como o previsto. Do aeroporto, fomos para a estação Penn Station, andamos por aquela região e fomos passando por alguns pontos turísticos, coincidentemente. Depois, pedimos informações, pegamos o metrô e fomos até a região da Wall Street. Nós caminhamos por lá e, sem querer, passamos pelo famoso Charging Bull.




Posteriormente, fomos caminhando até o chamado Ground Zero, onde ficavam localizadas as torres do World Trade Center. Muitas obras ainda estão sendo realizadas naquela região e, por conta disso, têm muitos operários e policiais por lá, além de um grande número de turistas. Conforme você vai se aproximando do local, vão aumentando as homenagens às vítimas do 11 de setembro.




A imagem acima é uma homenagem aos bombeiros que trabalhavam exatamente nesse prédio. Por ser o quartel mais próximo do World Trade Center, os bombeiros que trabalhavam ali foram os primeiros a chegar ao local do atentado, sendo que, a maioria deles morreu quando a primeira torre desabou.




 A visita ao Memorial é bem "silenciosa". Tudo o que se ouve são os cochichos dos turistas e o barulho da água correndo infinitamente. Certamente, é um lugar de respeito e reflexão que vale muito a pena ser visitado.




Desse ponto, também é possível se deparar com a grandiosidade do One World Trade Center ou World Trade Center 1, o edifício principal do novo complexo do World Trade Center. Esse foi o prédio mais alto que eu já vi e também o mais bonito. É, literalmente, um arranha-céu!




Saindo dali, ainda foi possível ir caminhando até um ponto de onde era possível avistar a Estátua da Liberdade. Ela fica bem longe da margem, por isso é quase impossível enxergá-la, mas deu para ter uma ideia de onde ela fica e como ela é. Foi preciso usar todo o zoom da minha câmera para conseguir a foto abaixo, então, à olho nu ela era quase invisível no horizonte. Dali, nós pegamos o metrô novamente, voltamos para Penn Station e, de lá, fomos para o aeroporto.




Bem, essa foi nossa trajetória de praticamente 4 horas em Nova York. Antes de começar a escrever esse post, eu pensava que iria dizer que essa não foi uma experiência muito boa por conta do cansaço, da correria e de alguns imprevistos, mas ao escrever e rever as fotos eu fui me dando conta de que foi sim uma experiência válida. Olhando para tudo isso agora, depois de quatro meses, é interessante perceber o tanto de coisas que fizemos em relação à nosso tempo e cansaço.

Não foi um passeio organizado, mas graças à ele, eu posso dizer que conheço um pouquinho de Nova York. Se você pensa em fazer o mesmo, prepare-se para a correria, para os imprevistos e para o desgaste físico. Depois de tudo isso, no entanto, você terá alguma história para contar e muitas fotos para se recordar, o que fará tudo valer a pena.

Uma ótima conexão para você!
Até mais!

9 comentários:

  1. Na 1 vez q estive em NY tb tive que fazer um roteirinho super corrido pq tinha umas 12h pra aproveitar a cidade (e choveu muito aquele dia, fui embora encharcada! rs). Contei o que consegui fazer aqui: http://taindopraonde.blogspot.com.br/2013/10/nova-york-em-um-dia-ou-poucas-horas.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!! Eu li o seu post... Muito bacana! Acho que nossa experiência foi bem parecida. E pra quem, como nós, não tem opção de ficar mais dias, vale a pena correr o risco e enfrentar essa correria! =)

      Excluir
  2. Olá Erica, tudo bem?

    Muito bacana a sua passagem por NY.

    Mas como você fez com as suas bagagens?

    Estarei indo fazer essa "passagem" por NY em Julho de 2016.

    Um abraço e gostei muito do seu post!

    Marcus Vinicius

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcus, tudo bem sim! Espero que esteja tudo certo por aí tbm!

      Antes de viajar eu fiquei preocupada com a questão das malas. Liguei na Delta pra saber se teria que pegá-las em Nova York e o atendente me garantiu que as malas iriam direto para Paris, então eu nem pensei mais no assunto. Só quando estava chegando em Nova York é o que piloto nos informou que todas as bagagens deveriam ser retiradas. Aí, nós desembarcamos e pensamos: "já vamos despachar no guichê da Air France". Porém, quando chegamos no guichê, tinha uma plaquinha dizendo que o expediente começava às 15 horas. Era apenas 7h da manhã e a gente não sabia o que fazer... Como passear pela cidade carregando 3 malas? Era impossível! Bateu um desespero! Aí saíamos andando pelo aeroporto em busca de uma solução, até que encontramos um funcionário que nos informou que no piso térreo tinha uma empresa especializada em guardar malas. Ufa! Foi a nossa salvação. Eu nunca reparei se em outros aeroportos também é possível encontrar esse tipo de serviço, mas eu acredito que sim, já que é muito útil! Nós pagamos de 10 à 20 dólares por mala, dependendo do peso, e, depois de ter conhecido um pouquinho de Nova York, nós voltamos e estava tudo certo com nossas malas! Pareceu ser super seguro!

      Um abraço e me desculpe pela pequena demora em responder!
      Uma ótima viagem!!

      Excluir
  3. Gostei muito da sua experiência, tudo vale a pena sempre, mas sei como é nós chegamos quebrados,com sono e até para dirigir é complicado. Estou con dúvidas porque minhas milhas na AA estão com muitas conexões e vou chegar muito tarde em Orlando. O único voo que me parece bom é chegando no JFK às 6:30 am e partindo às 19h para MCO. Vou estar só com minha filha de 7 anos. Queria pelo menos visitar a estátua da liberdade e comer claro nesse trajeto. Como faço? É perigoso? Teria alguma empresa brasileira (em conta) talvez para fazer esse serviço de transfer? Nossas, muitas perguntas! Obrigada! Parabéns pelo blogger!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Em primeiro lugar, peço desculpas pela demora em responder.

    Sobre as suas dúvidas, eu acho bem possível chegar até a Estátua da Liberdade sem grandes dificuldades e não acho que seja perigoso. Porém, eu não sei te dizer o trajeto mais indicado porque, quando eu fui, minha primeira parada foi na Times Square e, a partir de lá, eu fui indo para outros pontos turísticos. Também não sei dizer sobre os serviços de transfer, me desculpe! É como eu disse no post, quando você faz conexão num lugar que você já conhece, dá pra aproveitar bastante. No meu caso, como eu nunca tinha estado em Nova York, foi tudo na correria e no improviso... Por isso, infelizmente, não posso ajudar muito! Espero que dê tudo certo pra vc e pra sua filha! Boa viagem! E obrigada pelo elogio!;-)

    ResponderExcluir
  5. Olá Erica... deixo tirar uma dúvida com vc... foi muito dificil pegar o metro?! Eu nao falo ingles fluente.. entendo bastante mas nao falo mto.... pra vc foi facil pegar o metro e parar no local certo? Vc lembra valores mais ou menos?! Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo! Espero ainda estar em tempo de te ajudar! Eu não me recordo dos valores, mas posso dizer que achei bem complicadinho esse processo de metro! Mesmo o meu marido, que fala e entende bem inglês, ficou confuso. Nós nos equivocamos pra comprar os bilhetes (compramos errado e demos sorte do fiscal dentro do vagão tolerar nosso erro) e também pegamos o metro na direção errada. Quando percebemos o erro, descemos, mas perdemos um bom tempo pra localizarmos a estação certa! Pode ser que a pressa e a falta de mais informações tenha dificultado esse processo pra nós, mas muitas pessoas relatam dificuldades parecidas! Procure "tutoriais" de como fazer pra chegar do aeroporto até o lugar que você deseja e vá com tempo pra poder consertar o trajeto ou o equívoco, caso aconteça. Boa viagem e me desculpe pela demora! =)

      Excluir
  6. Oi Erica Cezar.
    Quero saber se numa conexão de 14 horas em NYC é possível despachar a bagagem
    antes de saír para a cidade e no retorno fazer o check in para SP.
    Obrigado e valeu pelas dicas.
    José Suárez

    ResponderExcluir